Cirurgia Hepática e Pancreática

 

A cirurgia hepato-pancreática representa uma area cirúrgica específica e delicada, muitas vezes relacionadas à doenças malignas ou crônicas.

A anatomia da região é bastante complexa e um bom conhecimento pela equipe cirúrgica de suas variações é fundamental para o sucesso do tratamento.

O câncer de fígado é dividido em duas categorias: o primário do fígado e o secundário, ou metastático (originado em outro órgão e que atinge também o fígado). O termo "primário do fígado" é usado nos tumores originados no fígado, como o hepatocarcinoma ou carcinoma hepatocelular (tumor maligno primário mais freqüente que ocorre em mais de 80% dos casos), o colangiocarcinoma (que acomete os ductos biliares dentro do fígado), angiossarcoma (tumor do vaso sangüíneo) e, na criança, o hepatoblastoma.

Apesar de não estar entre as neoplasias mais prevalentes, o câncer hepatobiliar requer alta complexidade no seu diagnóstico e proficiência no tratamento. Porém, de acordo com os dados consolidados sobre mortalidade por câncer no Brasil em 1999, o câncer de fígado e vias biliares ocupava a sétima posição, sendo responsável por 4.682 óbitos.

 

   

 

A cura do câncer de pâncreas só é possível quando este for detectado em fase inicial. Nos casos passíveis de cirurgia, o tratamento mais indicado é a ressecção, dependendo do estágio do tumor.

Em pacientes cujos exames já mostraram metástases à distância ou estão em precário estado clínico, o tratamento paliativo imediato mais indicado é a colocação de endo-prótese.

A radioterapia e a quimioterapia, associadas ou não, podem ser utilizadas para a redução do tumor e alívio dos sintomas.

 

   

 

 

 

Consultórios:
Av. Angélica 2503, cj. 66, Higienópolis, tel.: 3257 2398 / 3120 5743.
Hospital Israelita Albert Einstein, Bloco A-1, 4º andar, tel.: 11 2151 9205